Conto

BLUES

Eu sou o que gosto de ser, sem disfarces ou mentiras, meu jeito único se move sem medo e com calma, aceitando tudo sem maiores problemas, me sinto, algumas vezes, antiquado, mas basta me analisar, e sei. Ainda sou espontâneo e fabuloso!

Já era tarde naquela noite, me distanciara dos meus amigos, dançavam ou qualquer coisa do tipo, nada parecia fazer sentido, nem sei por que estava por lá, sossegado no canto próximo a piscina tomava conhaque e olhava o céu, a lua, ficando assim o mais longe possível daquelas musicas que moldam o modo de vida insano e fútil das pessoas.

Nunca consegui gostar da moda, e sempre fui feliz comigo, tanta asneira não conseguiria me moldar como moldam tantos. Fico perdido em ocasiões assim, ninguém ali é como eu, por isso prefiro o canto silencioso.

Era uma bela noite clara de inverno, o frio suportável, e a brisa gelada que passava como se quisesse incomodar. Debrucei na cerca que divide as águas tranqüilas do resto do local, fiquei ali tempo suficiente para qualquer ser normal ficar fortemente entediado.

Situação que poderia muito bem ouvir um Blues. Blues é o melhor roído da essência dos iluminados, às vezes leve, às vezes inquieto, relevante som da guitarra soprando a inspiração da alma. Parado ali, longe das musicas frustrantes podia muito bem sentir o Blues, mesmo sem ouvi-lo, sensação simples, complexa e silenciosa. Única.

Os goles acabam, contudo fiquei por ali parado com o copo na mão, “como podem servir conhaque em um copo descartável?”.

Virando de costas para a cerca, observo toda essa gente feliz por serem assim, mesmo não entendendo aceito, pelo menos alguém ali se destacava, estava a poucos, metros em outro canto silencioso. Seus cabelos não muito loiros, seu jeito de estar e suas roupas com personalidade, me encantaram. Ao contrario de mim, dava pra perceber que aquela garota era diferente por apenas olhar. Não cansei de observá-la, todos meus pensamentos de tédio se esvaiam com aquela visão

Conto tudo isso tão seguramente que não retrato como me senti perto dela, mesmo seguro do meu ser, perto de uma garota não passo de mais um, ou até algo menor que medíocre.

Sentia uma estranha calma ao pensar em ir até ela. O receio poderia ser curado facilmente com mais uns goles, ao voltar para o balcão pedi mais uma dose, “Gelo?”, não consigo imaginar como alguém possa beber conhaque com gelo, “Não obrigado”. Ao pegar outro copo fico mais confiante, nada que uns goles não resolveriam.

Sempre me puni por não manter contato com as garotas como os outros rapazes, hoje sei que isso me salvou de me tornar medíocre como eles, em uma roda de garotos,  90%  do assunto é as meninas, a imensa raiva dessa raça de animais que só pensam em reprodução é a necessidade de falar e contar suas aventuras, pessoas que mesmo com uma linda e gentil namorada, a traem sem remorso algum, não possuem de ética e se gabam disso, agem por extinto e destroem o diferencial que o ser humano possui ao comparado com outros animais.
As garotas por sua vez não agem diferentes, sempre com o mesmo argumento que se os rapazes fazem faremos também se rebaixando ao nível sujo e animalesco.

Meu desafio era encontrar uma pessoa que seria como eu, diferente com seus próprios caminhos que não seguisse os traços sujos e erros já cometidos por outros, alguém que poderia compartilhar pensamentos sobre a vida e uma boa musica.

Ao me aproximar e dizer o mais simples e puro “OI” me desconstruo em nota por nota, ao ouvir as palavras sinceras de uma pessoa com raiva da vida. Suas palavras me tocaram e tiraram de mim um sentimento puro e sincero, como se cada nota fosse fortalecida com emoção e devolvida a mim, no puro e claro som de uma musica sincera feita em improviso.

Ao desconfiar de mim, e me pedindo para dizer o que eu tenho de diferente dos demais que ela já havia se livrado fiquei sem palavras. Triste fim que eu não pude me descrever. Sempre analisando o que não sou nunca consegui dizer com palavras o que eu sou.
Eu sei quem eu sou não consigo descrever, mas sei, aquela garota que um dia encontrarei novamente ficará encanta quando eu mostrar a ela. Com umas notas calmas e tranqüilas consigo me descrever facilmente, eu sou como o Blues, e o Blues é como eu, não seria possível me explicar sem notas calmas, belas e rápidas de guitarra.

Recomendação:  Earl Hooker, SRV, Freddy King, Albert King, Jimi Hendrix, B.B King
Dentre tantos mais

Anúncios

Uma resposta

  1. Adorei seu ponto de vista sobre o blues *_* , como vc eu acho q o blues é a essencia da alma.
    gostaria de ver mais post´s seus sobre o assunto.
    beijos =*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: